Skip to content

Tag: cultura

Nova Seção: Doses Culturais

A partir de hoje, aos sábados, publicarei aqui a seção Doses Culturais, que vai substituir a Sugestões do Cheff, que provavelmente ninguém notou na barra lateral. A idéia aqui é separar durante a semana um livro, uma música, um link e uma expressão artística. Na verdade, parece que mudou apenas o nome, mas de fato esta é a primeira coluna com atualizações regulares do blog. Além disso, agora também coloco uma brevíssima descrição daquilo que estou sugerindo. E quanto ao nome, mudei por achar que o termo “Cheff” era muito ostensivo.

E a primeira dose será composta por:

Link

Monitor de Escândalos no Congresso 2009 – UOL NOTÍCIAS

Já postei este link 2 vezes antes aqui no blog. Mas acredito que se fosse postado 100 vezes ainda seria pouco. A lista só aumenta a cada semana, independente de partido ou ideologia. Vemos picaretagens da Esquerda para a Direita, e vice-versa.

Arte

providencia_workinprogress_jr

Este é um misto de grafite e fotografia. Trata-se de um trabalho realizado no Morro da Providência/RJ. Clique na imagem para mais informações e mais grafites.

Livro

ensaio_sobre-a-cegueira

A resenha do livro diz:

“Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma “treva branca” que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas. O Ensaio sobre a cegueira é a fantasia de um autor que nos faz lembrar “a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam”. José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti.Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: “uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos”.”

Ainda não terminei de ler, mas já vou indicando. Realmente vale a pena a leitura.

Música

[blipfm http://blip.fm/profile/victorfranco/blip/9975299]

A música de hoje é um Dance do Basshunter, Walk on Water. Tem um ritmo rápido e combina vários efeitos bastante interessantes. Boa para aquecer para a balada.

1 Comment

Fizeram um créu na cultura brasileira

Viagra whithout prescription width=”240″/>

Carnaval, curtição, marchinhas e samba? Nada disso! O ‘hit’ do momento do carnaval 2008 foi o Créu. Essa merda-prima da música nacional tocou em todos os lugares à exaustão nas noites de folia e nas rádios. Onde foi parar o mínimo de cultura que ainda restava ao povo brasileiro?

Mas uma pergunta não quer calar: como uma ‘música’ dessas, que se contarmos não tem nem 50 palavras diferentes e nenhuma mensagem, nenhuma mesmo, consegue ter uma audiência dessas? É inacreditável! Termino aqui o post pois me faltam palavras para desqualificar esse treco. Acho que essa porcaria fez um créu nas minhas idéias tambem.

ps: esse eu assino com gosto!

1 Comment

‘Curtura’ brasileira

Esse post Levitra pill whithout prescription era pra sair amanhã de manhã, mas não aguentei esperar. Admire a placa abaixo, que fotografei domingo de carnaval, no centro de Paracatu-MG. Você já bebeu alguma coisa que está anunciada? Eu não. E depois reclamam de uísque falsificado.

Você aceita uma cóca? E uma cervéja?

PS: Acho que eles criaram uma receita nova de Domus, servido num copo com um ovo dentro e bebido com canudinho.

1 Comment

Alô plin, plin!

Essa é para aquela emissora do plin, plin. Isso mesmo, aquela do “bem amigos da rede…” e tudo mais. Por que raios a minha amada cidade, capital deste grande país, sim grande, e em todos os aspectos; resolve simplesmente não falar nada sobre Brasília? Corrida onde Judas perdeu as botas, vira notícia na plin, plin. Salto de pára-quedas onde ele perdeu as meias, notícia no jornal das 8. Festival de cinema em Brasília: nada. Festival de música: nada. Campeonato de futebol femino(em Brasília): nada. Melhor jogador do mundo nascido em Brasília: nem pensar. Só se tivesse nascido na Cidade-Maravilhosa (af!).

Mas se fosse aumento da IOF, da taxa de juros, político corrupto ou coisas que se limitem à Esplanada dos Minstérios, ah isso sim estaria na emissora do plin, plin. E com ênfase ao nome de Brasília na notícia.

Parece que estou sendo meio chato com esse negócio de defender Brasília, mas várias cidades desse país devem se convencer que não piores que a cidade dos morros e das balas perdidas só porque não aparecem na novela.

E aqueles que trabalham na emissora do plin, plin deveriam se derreter de amores por suas cidades da mesma forma que têm que fazer pela cidade da emissora do plin, plin.

assinatura digital

Leave a Comment