Skip to content

Categoria: Pessoal

O Regresso (e não é o filme)

typewriter

Faz 8 anos desde que esse espaço foi criado. É espantoso ver como o tempo passa tão rápido! Posso dizer com toda a certeza que aquela pessoa que escreveu o primeiro post, há muito tempo já não é mais a mesma. O cenário muda, o ecossistema muda, e a gente muda. Não é assim?

Entretanto, eu nunca abri mão de manter esse espaço, que é como uma “lobby” que tenho no mundo virtual. Lobby no bom sentido, aquele lugar em que todos tem acesso e onde podemos rapidamente falar sobre temas variados, sem muito compromisso com a formalidade, às vezes tomando um cafezinho. Mas o lobby não é meu espaço privado, nem o seu. Passadas as definições sobre espaço, a verdade é que eu vinha frequentando muito pouco esse lugar.

A partir de hoje, voltarei a escrever (sobre [quase] tudo… lobby, lembra?) aqui. A diferença, e por isso a restrição no meu parênteses, é que não falarei sobre política. Pelo menos por enquanto. Por quê? Acho que estamos em um infeliz momento de intolerância política em nosso país em que qualquer coisa que se fale não leva a uma reflexão, mas sim a uma perseguição, e não é esse o propósito . Minhas ideias e opiniões sobre o assunto continuam existindo, mas não no lobby, e sim na sala de estar.

E sobre o que vou escrever então? Ora, a tecnologia não parou desde a última vez que estive por aqui. O cenário cultural é outro. A ciência vai a todo o vapor. Além disso, nesse caminho aprendi algumas coisas novas em minha carreira profissional, acho que vale a pena compartilhar.

Obrigado por estar aqui!

1 Comment

Desculpas e muito obrigado!

Primeiramente quero pedir desculpas por ter quase abandonado o blog esse mês. A correria foi muito grande com a mudança de emprego e o tempo que tive foi pra descansar um pouco. Mas acredito que as coisas já estão se normalizando (se é que isso é possível) e eu estou feliz. Infelizmente o tempo a passar aqui ficará ainda mais curto, pois vou estudar um pouco mais a partir de agora, mas estou animado para voltar a postar aqui nos finais de semana.

thankyou

O muito obrigado é pela fidelidade de vocês, que continuaram passando por aqui durante esse período de abandono por minha parte. Vocês são D+ !

Foto: psd

4 Comments

Democracia ou Casa da Mãe Joana?

Meus conhecimentos matemáticos me levam a buscar definições antes de se tirar determinadas conclusões. Então, vamos começar o raciocínio de hoje com duas definições retiradas do Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa:

Democracia: 1 governo do povo; governo em que o povo exerce a soberania 2 sistema político cujas ações atendem aos interesses populares 3 governo no qual o povo toma as decisões importantes a respeito das políticas públicas, não de forma ocasional ou circunstancial, mas segundo princípios permanentes de legalidade (…)

Casa-da-Mãe-Joana: mq cu-de-mãe-joana: lugar ou situação em que cada um faz o que quer, onde imperam a desordem, a desorganização; casa-da-mãe-joana, casa-de-mãe-joana.

Red Light

É importante ainda lembrar da invasão de uma fazenda do Grupo Cutrale, em que foram destruídos milhares de pés de laranja e dezenas de máquinas, por parte do Movimento dos Sem Terra, MST. Os integrantes do movimento não cansam de afirmar que lutam por distribuição de terras aos trabalhadores rurais, produzir alimentos para o povo brasileiro, etc. Lógico que eles defendem cegamente os atos praticados por seus integrantes, e claro atacam radicalmente o capitalismo e o capital privado.

Mas isso é direito de todos eles, assegurado pela Constituição. O que preocupa é ver integrantes do Poder apoiar episódios como os que aconteceram na fazenda da Cutrale. No site Terra Magazine, foi publicada uma entrevista ao Deputado Federal Emiliano José (PT-BA). Nela o Deputado mostra como o discurso de uma esquerda atrasada ainda se mostra muito presente na nossa política. Na entrevista, ele diz que não vai iria analisar o episódio da Cutrale, porque não estava presente no momento da invasão. Nem poderia, já que o gabinete dele fica bastante distante de qualquer fazenda.

Na verdade, é conveniente para ele não ter que comentar os absurdos que foram cometidos. Após escorregar por esse assunto, ele disse que a tentativa de instalação de uma CPMI para investigar o MST é um movimento da Casa Grande, que se materializa no PSDB e no DEM. Muito conveniente também desfigurar qualquer movimentação no sentido da investigação em simples lutas partidárias, ou em lutas de classes.

Na sequência, ele afirma que as ações radicais são próprios de movimentos de movimentos como o MST, e que a gravidade dos problemas fundiários do Brasil pedem esse tipo de ações. Também fala d’a importância do MST  para a vida brasileira’.

O pensamento do Deputado se assemelha bastante daquele que Hugo Chávez esbraveja pelo mundo afora, onde os EUA são o demônio e o povo Venezuelano revolucionários em busca da libertação. Em troca disso, eles não podem sequer viajar a outros países e levar seu próprio dinheiro, da forma como bem entendem. É a ditadura em troca da libertação. Paradoxal.

O MST, como vocês sabem, não é uma pessoa jurídica. Não existe CNPJ para o MST. Não existe um MST para se processar. O que se faz, no máximo, é processar alguns de seus líderes. Ora, eu sou plenamente responsável por meus atos desde que fiz 18 anos. Se eu derrubar o muro do vizinho e não reparar os danos, ele tem direito de me processar e exigir seus direitos, ainda que eu alegue que o terreno dele é maior que o meu.

E o discurso de coitadinhos do MST também não convence mais ninguém. Ora, claro que existem pessoas sem terra para cultivar, e que realmente desejam cultivá-la. Mas não são maioria. O que acontece em vários casos, e que já foi fartamente noticiado, é a venda de terras por assentados, que voltam a invadir e pedir por terras novamente.

Eles também se esquecem que é possível sim vencer na vida sem ter nascido na Casa Grande, como o Deputado chamou a elite brasileira. Não faltam exemplos, mas vou citar exemplos de milionários, mas o da minha família, tanto por parte de pai quanto de mãe, que saíram de grande pobreza a uma vida que se pode considerar confortável. Isso foi conquistado em uma época em que não havia Bolsa Família, mas em que as pessoas trabalhavam muito para sobreviver.

E se hoje eu posso escrever este post com um notebook no colo, é porque também trabalho bastante para isso. Também sei o que é injustiça, e como injustiças podem adiar sonhos. Mas nem por isso saio por aí agindo como um bárbaro. O MST não pensa assim. Eles pensam que porque são um “movimento popular” tem o direito de ser acima das leis do nosso país. Eles abstraem o conceito de Democracia para o conceito de Casa da Mãe Joana. Para eles, a legalidade é coisa da Casa Grande, então não deve ser considerada.

Se me perguntarem o que acho do MST, vou responder que tem que ser reprimido, pois não fariam favor maior ao país se deixassem de existir. Destruir propriedades que produzem riquezas ao país e que geram empregos não é atitude de nada que se diga democrático, pois não respeita as leis nem a própria Nação.

Fonte: Terra Magazine e Folha Online

Foto: respres

3 Comments

Resenha: Fones de Ouvido Philips SHS8000/00

Posso dizer que escutar música é um dos poucos prazeres que posso usufruir diariamente. E quando escuto música, quero que ela seja reproduzida da melhor forma possível. Nem sempre as condições ambientes são as ideais, mas ainda assim exijo bastante na qualidade sonora (tecnicamente falando).

Com a compra do iPod Nano – que vou escrever depois –  se fez necessário o investimento em fones de ouvido. Primeiro porque o Sony Ericsson que eu utilizava anteriormente possui um padrão próprio para o conector dos fones. Segundo, porque os fones de ouvido que vêm de fábrica no iPod são daquele modelo super básico, que fica pendurado na orelha, apesar da boa qualidade sonora.

Dada a pressa que eu estava para comprar logo meus fones, e a necessidade que eles fossem intra-auriculares, acabei optando pelo modelo SHS8000/00. O código do modelo não é lá dos mais agradáveis para se referir, mas basta bater o olho neles para reconhece-los. Eles são assim:

SHS8000_00-GAL-global

Agora vamos aos fatos. Começando pelo que se pode ver, eles são intra-auriculares, e possuem 3 tamanhos de protetores de borracha, que se encaixam no conduto auditivo. Isso traz duas vantagens: a primeira é o isolamento de ruído que eles geram, e com isso o volume a ser despejado ao seus tímpanos pode ser menor do que se ele tivesse que concorrer com a totalidade do som ambiente.

Externamente também é possível ver as presilhas, que fixam os fones na parte de trás da orelha. Confesso que esse detalhe foi o que me fez pensar três vezes antes de comprar o produto. Nã0 gosto de nada que faça sentir preso, e essas presilhas realmente pareciam que iriam me incomodar. Mas resolvi dar uma chance aos fones. Ao usá-los, fiquei realmente espantado ao notar que elas não incomodam em nada, e na maior parte do tempo eu sequer me lembro que elas estão lá. E pensando depois, elas são ótimas para mim que gosto de correr, pois elas não deixam que os fones caiam a cada 400m. Ponto positivo.

Qualidade Sonora

Apesar de não ter conhecimento técnico na área, sei reconhecer quando um som é de boa qualidade, em aspectos físicos. Já tive fones que simplesmente roubavam metade dos graves, outros enchiam os agudos de ruídos e outros que “mascaravam” os médios para criar uma falsa sensação de graves mais potentes. Esses Philips definitivamente não fazem isso. A grande faixa de resposta de frequência, que vai de 6 a 23.500Hz, garante um som realmente fiel. Tão fiel, que às vezes é possível perceber alguns ruídos existentes em determinadas músicas convertidas de forma mais pobre em qualidade.

Graças ao isolamento acústico, e ao formato in-ear, a qualidade sonora também se mantém um pouco mais preservada. Mas não espere milagres. Sem música, é possível escutar conversas próximas, mas com certa dificuldades. Para se ter uma idéia, é possível escutar música de forma razoável em um ônibus velho subindo uma ladeira, apesar de ainda ouvir um pouco do ruído do motor. A proposta dos fones não é de isolamento total de ruído, até porque os fones que chegam perto disso não são nada confortáveis.

Então é isso que tenho a dizer. Se você procura fones de ouvido de boa qualidade sonora, com certo isolamento acústico, e que permitam realizar atividades como correr sem que eles fiquem caindo o tempo todo, os Philips SHS8000/00 são uma ótima opção para quem não quer paga R$150 por fones profissionais, custando um terço disso (cerca de R$50). Além disso, eles funcionam perfeitamente bem com todos os modelos de iPod e iPhone, além da maioria de MP-X disponíveis no mercado.

Site do Produto: Philips SHS8000/00

Leave a Comment

Quer comer bem? O Hungrygoat’s sabe onde!

Bateu aquela fome e você quer variar no cardápio? Está procurando um lugar para levar aquela pessoa e não passar vergonha? Ou quer apenas saciar sua sede por descobrir lugares novos para comer bem?

hungrygoats

O blog Hungrygoat’s pode te ajudar! Sempre com ótimas dicas e pequenos reviews, você vai conhecer lugares para ir desde o café da manhã até aquele jantar romântico. E o que faz o Goat mandar bem naquilo que diz? Ele VAI aos restaurantes de que fala, não importa se eles ficam no Rio de Janeiro, em Brasília, Belo Horizonte ou até em Nova Iorque.

Então, fica minha dica: visite o Hungrygoat’s e aproveite para segui-lo no twitter. Você não vai se arrepender!

2 Comments

Voltei a correr. E o roteiro você vê aqui.

Não costumo falar muito de meus hábitos pessoais aqui no blog. Acho que este espaço não é um diário para ficar contando tudo que faço por aqui. Nem no meu Twitter eu costumo fazer streamming da minha vida. Mas dessa vez acho que vale a pena compartilhar minha volta aos exercícios físicos.

running_man

Nunca falei aqui, mas aprecio muito corrida. Gosto muito de correr, também, mas desde fevereiro último que eu não calçava meu par de tênis para isso. Então, com a chegada das férias resolvi voltar a praticar o esporte, mas ao invés de apenas correr, caminho mais 6,4 km. Veja o mapa do percurso:


Visualizar Percurso Caminhada em um mapa maior

Como vocês podem ver no mapa, eu começo a caminhada na via L2 Norte, em Brasília. De lá, o destino é o Centro Olímpico da UnB. Essa caminhada inicial é muito boa como aquecimento para a corrida, especialmente nos dias mais frios. Por problemas de horário, eu inicio às 7:15 da manhã. Ao chegar no C.O., vem a corrida. Após a volta às pistas (como se fosse um corredor de verdade) corri cerca de 2,5 km. Na última sexta-feira consegui correr apenas 1,3 km, mas depois realizei 4 tiros de 100m (em 13s cada).

Depois da corrida, inicio a volta, numa subida bastante acentuada em alguns trechos. O destino é a quadra 704 Norte de Brasília. Ao final, apenas de caminhada (linhas azuis do mapa), são 6,4 km.

Não sou profissional de Educação Física, apenas estou compartilhando uma rotina de exercícios que estou seguindo, e que me tem feito muito bem. E aconselho que sempre se procure um médico antes de iniciar a prática de qualquer atividade física. Mesmo que apenas uma caminhada.

Na barra lateral do blog, irei atualizar as distâncias percorridas de caminhada e corrida, todas as segundas, quartas e sextas-feira, que são os dias que eu corro.

Foto: esbjorn2

2 Comments