Skip to content

Tag: hospitais

Apartheid nos Hospitais de São Paulo

Foi aprovada na última quarta-feira (2/9) na Assembélia Legislativa de São Paulo um projeto de lei de autoria do Governado José Serra (PSDB) que autoriza o atendimento de 25% dos atendimentos em hospitais públicos mediante pagamento por particulares ou planos de saúde. Vários críticos defendem que a lei pode gerar a segregação dos atendimentos entre aqueles que pagam, e portanto serão muito melhor atendidos, e os que dependem do SUS, que amargarão sofrimentos ainda maiores nas filas e o péssimo tratamento que recebem.

O modelo de gestão dos hopitais paulistas já prevê a terceirização na gestão dos hospitais desde 1998, e se defende que assim os serviços prestados são melhores pela possibilidade de melhor remuneração aos funcionários e os custos e a burocracia são menores. Para o atendimento particular nos hospitais, o governo defende que os recursos obtidos seriam usados para melhorar o atendimento àqueles que não pagariam.

Mas a face dessa lei me parece bastante tenebrosa. Primeiro pela conclusão óbvia de que os pacientes do SUS serão tratados como o lixo das emergências. Vejamos pelo lado capitalista (afinal, é isso que somos): você tem dois Clientes, um deles te paga muito bem, já o outro te paga com algumas moedinhas, quando pode. Você consegue atender a apenas um de cada vez com qualidade. Qual deles será seu Cliente preferencial? CLARO que será o que paga bem! O outro vai entrar na fila de espera da sua agenda, e será atendido quando der. Caso contrário, se você atender o primeiro de qualquer jeito, ele ficará insatisfeito e procurará outro prestador de serviço. Se você deixar ele esperando, então nem se fala.

Agora faça uma composição da situação dos hospitais no Brasil. São Paulo não deve ser muito diferente. Eu vejo uma Emergência lotada de gente sentindo dor, gemendo e rezando para ser atendida logo. Gente que espera 5, 8, 10 horas para olhar para o médico que vai lhe receitar uma injeção. Essas pessoas estão ali não porque gostam, ou porque acham o melhor programa da madrugada estarem ali. Estão lá porque não podem pagar para estarem em um hospital particular. Agora imagine essas pessoas tendo que disputar atendimento com os 25% que estão pagando, e por isso terão direito de serem atendidos com mais agilidade e com mais recursos. Consegue imaginar? O funil que já era apertado vai ficar ainda pior.

Chamo atenção ainda para mais um lado curioso do discurso do Governador Serra: que história é essa de dinheiro para ser usado em melhores condições de atendimento aos pacientes do SUS? Não é necessário ter QI superior ao de um chipanzé (um bom chipanzé) para ver que isso não passa de uma mentira deslavada. O dinheiro para custear os atendimentos na rede pública de saúde vem da arrecadação de impostos, que devoram nossos salários todos os meses. Vêm das próprias receitas estaduais e de repasses do Governo Federal. A tabela do SUS paga pouco? Reclame, coloque nota no jornal, rebole. Não gastam milhões com propaganda? Gaste uns poucos mil reais e coloque a boca no mundo. Mas o problema não é esse, não é Governador.

O fato é que se o dinheiro do POVO não fosse repartido entre uma horda de políticos CORRUPTOS e BANDIDOS, existiria sim verba para custar saúde de qualidade, educação de qualidade, segurança de qualidade para o POVO, que é que vos sustenta, caro Governador. Fazer isso não é um favor do Governo, é uma OBRIGAÇÃO do ESTADO.

Ainda resta uma esperança

Contra a lei que pretende promover um verdadeiro apartheid na saúde paulista, o Ministério Público pretende ajuizar ações contra todos os contratos que forem firmados, e talzez até uma ADIn no STJ para tentar derrubar a lei.

E vem mais por aí

Segundo a Folha, junto da proposta para os hospitais paulistas, foi adicionada permissão para que as instalações culturais e esportivas sejam terceirizadas. Assim, o circo, que sustenta governos desde Roma Antiga até os dias de hoje, também seria ceifado do povo.

Olho nele!

Precisamos ficar de olho, pois será o Governador José Serra que aparecerá todos os dias nas nossas casas ano que vem, pedindo votos para se eleger Presidente da República. Devemos ficar atentos para não colocar no Governo o homem que pode vir a privatizar tudo, desde o atendimento nos hospitais, como ele pretende em SP, até as escolas dos nossos filhos, e ainda vai levar metade do seu salário em impostos. Isso é muito grave.

Leia mais na Folha.

1 Comment
%d blogueiros gostam disto: